Vendas de notebooks crescem 25,7% no 3º trimestre

Vendas de notebooks
Mesmo com o aumento de preços, vendas de notebooks puxam a alta de 9,9% no mercado de PCs, enquanto segmentos de tablets e desktops sofrem queda

As vendas de PCs aumentaram 9,9% no terceiro trimestre, conforme o relatório da International Data Corporation (IDC). Com mais de 1,304 milhão de unidades comercializadas, as vendas de notebooks tiveram um aumento de 25,7% em relação ao mesmo período de 2019, puxando esta alta do mercado. Segundo Rodrigo Okayama Pereira, analista de mercado da IDC, o aumento no número de dispositivos vendidos pode ser justificado pela pandemia, afinal muitas pessoas tiveram que se adaptar ao trabalho home office e ao ensino em casa.

De acordo com os dados da IDC, o preço médio dos notebooks ficou em torno de R$ 4.363, representando um aumento de 0,4% em relação ao segundo trimestre. Ou seja, mesmo com o aumento de preço as vendas de notebooks continuaram aceleradas.

Por outro lado, os tablets e computadores desktop sofreram uma queda nas vendas. Segundo a IDC, os tablets tiveram uma queda de 16,5%, enquanto os PCs caíram 28,3%, comparado ao 3º trimestre do ano passado.

Vendas de notebooks deve continuar em alta em 2021

Vendas de notebooks
Home office contribuiu para o aumento nas vendas de notebooks

Uma pesquisa divulgada pela Gartner aponta que cerca de 47% das empresas pretendem permitir que os colaboradores trabalhem em regime remoto depois da pandemia. Enquanto 42% dos entrevistados estão dispostos a permitir horários de trabalho mais flexíveis. Empresas como Google, Uber e Airbnb, já informaram que pretendem estender o trabalho remoto.

De acordo com dados da Upwork Inc. cerca de 37,5% dos colaboradores da companhia possuem planos para trabalhar remotamente daqui a cinco anos, sendo que antes da pandemia apenas 21,2% estavam dispostos a trabalhar em home office.

Segundo o Bloomberg, a tendência é que as melhores oportunidades de trabalho se concentrem nos grandes centros urbanos. Mas a adoção do trabalho remoto trouxe a possibilidade de as pessoas “se mudarem para lugares onde a vida é mais simples e os imóveis mais baratos”. E é esperado que as pessoas continuem trabalhando de casa daqui para frente. Com isso, as vendas de notebooks devem continuar em alta mesmo com o fim da pandemia.

Além disso, o mercado de computadores portáteis está aquecido e as fabricantes estão apostando em novidades. A Apple, por exemplo, está investindo em novos processadores que prometem fazer com que os novos MacBooks tenham maior desempenho que computadores topo de linha.

Já a MediaTek apresentou os novos chips MT8192 com arquitetura de 7nn e MT8195 de 6nn, que poderão ser usados para fabricar Chromebooks mais leves e finos, mas com maior poder de processamento  e autonomia da bateria, podendo ser uma alternativa para o público corporativo que busca notebooks portáteis e eficientes.

A IDC prevê que as vendas de notebooks devem continuar em alta no 4º trimestre, com uma expectativa de crescimento de até 8,4%. Além disso, a instituição acredita que as vendas de notebooks e desktops para o setor corporativo devem aumentar. Para Rodrigo Okayama Pereira, muitas empresas aproveitam a temporada de final do ano para investir em novos equipamentos, por isso a expectativa é que o setor corporativo tenha uma participação maior no aumento das vendas no próximo trimestre.

“O mercado corporativo caminha para uma leve retomada. As empresas estão perto de fechar seus balanços e podem usar o restante de seus orçamentos para fazer novos investimentos para o próximo ano” 

Rodrigo Okayama Pereira, analista de mercado da IDC.


Fonte: Gartner; IDC; Bloomberg

Tags

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário