Quais as tendências de tecnologia estratégica para 2021

tecnologia estratégica
Entre as principais tendências de tecnologia estratégica estão: nuvem distribuída, cibersegurança e inteligência artificial

A empresa de pesquisa e consultoria Gartner divulgou uma lista com as principais tendências de tecnologia estratégica para 2021. De acordo com lista, recursos como armazenamento em nuvem distribuído, cibersegurança, inteligência artificial (IA), entre outros, vão continuar em alta no próximo ano. 

Para ajudar você, separamos as principais tecnologias que serão usadas e como elas podem auxiliar no desenvolvimento econômico do seu negócio.

Uso de IA para analisar o comportamento dos colaboradores

tecnologia estratégica
O uso de IA para análises comportamentais pode auxiliar na elaboração de estratégias para melhorar a performance dos funcionários

Muitas empresas aproveitaram o período de quarentena para apostar em novos recursos de tecnologia estratégica como o Internet of Behavior (IoB) ou Internet de Comportamentos, em tradução livre. A proposta do loB é utilizar a Inteligência Artificial (IA) para analisar o comportamento dos funcionários e assim permitir que a empresa consiga pensar em alternativas que ajudem a melhorar o desempenho de cada um. 

Durante a pandemia, por exemplo, o loB foi usado para monitorar se os colaboradores estavam seguindo os protocolos de segurança sugeridos pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Mas o recurso pode ser usado em diferentes situações, afinal por meio do loB é possível rastrear o comportamento de qualquer funcionário durante o trabalho. O termo loB apareceu na lista com as tendências de tecnologia estratégica de 2020 do Gartner e deve continuar em alta mesmo depois da pandemia.

Experiência total integrada

tecnologia estratégica
Pensar uma estratégia capaz de satisfazer usuário, colaborador e cliente é o desafio da experiência total integrada

O termo Total Experience (TX) ou experiência total, também apareceu na lista de 2020. Esse recurso de tecnologia combina a experiência do cliente, colaborador e usuário para criar uma estratégia de negócio capaz de satisfazer os três perfis. Para Brian Burke, vice-presidente de pesquisa Gartner, desenvolver estratégias TX pensando em melhorar a experiência de todos pode ser um diferencial para as empresas que precisam recuperar da pandemia.

Privacidade e cibersegurança

Todas as empresas que estão no mundo digital estão sujeitas a  ataques de segurança e privacidade. Um relatório divulgado em 2019 pela Microsoft, sobre o futuro da cibersegurança, apontava que até 2022 mais da metade dos dados corporativos seriam processados na nuvem. Com isso, é esperado que o número de tentativas de invasão cresça todos os anos, por isso, as empresas precisam se programar para investir em cibersegurança.

A tendência, portanto, é que apareçam novas soluções de cibersegurança e os recursos computacionais sejam aprimorados para garantir  mais privacidade nas operações virtuais.

Tecnologia estratégica de nuvem distribuída

A proposta da nuvem distribuída é permitir que as operações em nuvem pública sejam feitas a partir de diferentes locais físicos, assim os dados de cada corporação ficariam hospedados em lugares mais próximos de sua sede, por exemplo. Assim ficaria mais fácil administrar o acesso da equipe, garantindo mais praticidade e até reduzindo os gastos.

Operações de qualquer lugar 

tecnologia estratégica
Segundo o Gartner empresas que optarem pelo remoto terão mais sucesso para ao final da pandemia

Anywhere Operations ou operações em qualquer lugar, é uma tecnologia estratégica que vem crescendo nos últimos anos. Um exemplo são os bancos digitais como Nubank, Inter, Digio e outros, que não possuem agência física e todo o processo de abertura de conta, depósitos, transferências são feitos online, por meio do aplicativo. 

Essas empresas conseguem oferecer suporte remoto a clientes de diferentes regiões e, ao mesmo tempo, possuem um local físico para cuidar das demandas internas. De acordo com o Gartner, até 2023 pelo menos 40% das empresas usarão o sistema de operações em qualquer lugar, mesclando entre operações físicas e virtuais.

Automatizar a maioria dos processos empresariais

 A Hyper-automation ou hiperautomação em tradução direta, tem objetivo automatizar todos os processo possíveis dentro de uma companhia. A hiperautomação sofreu uma aceleração durante a pandemia e segundo Burke essa tecnologia estratégica veio para ficar.

“A hiperautomação agora é inevitável e irreversível. Tudo o que pode e deve ser automatizado será automatizado ”

Brian Burke, vice-presidente de pesquisa Gartner

A tendência é que a hiperautomação seja usada cada vez mais pelas companhias, garantindo assim uma aceleração no ritmo de trabalho e mais eficiência operacional.

O que você achou da lista? Sua empresa já utiliza alguma tecnologia estratégica? Conte para gente nos comentários. 

Fonte: Interesting Engineering; Gartner

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário