Rede Latitud vai apoiar startups iniciantes na América Latina

Rede Latitud vai apoiar startups iniciantes na América Latina
Brian Requarth, Gina Gotthilf e Yuri Danilchenko se uniram para criar a Rede Latitud, que dará apoio aos novos empreendedores

Brian Requarth fundador do site de imóveis VivaReal, vendido para OLX no início do ano por R$ 2,9 bilhões, acumula uma trajetória de sucesso. Requarth se juntou a Gina Gotthilf, que liderou empresas como Duolingo e Tumblr, e Yuri Danilchenko, ex-diretor de tecnologia da Escale, para lançar a Rede Latitud. A proposta da rede é apoiar startups iniciantes, oferecendo mentorias aos empreendedores. 

O ex-executivo do VivaReal é conhecido por investir em startups do ecossistema brasileiro. Requarth acumula investimentos variados em solo nacional, incluindo startups que ganharam bastante destaque nos últimos anos, como Quinto Andar e Quero Educação

Mas a Rede Latitud não é voltada apenas ao público brasileiro: empreendedores de todos os países da América Latina podem participar do programa. É importante ressaltar que a Rede é voltada apenas para startups early-stage, ou seja, em estágio inicial. Os interessados podem se inscrever online

Como vai funcionar a Rede Latitud 

rede latitud
O ex-executivo VivaReal, Brian Requarth, acumula uma trajetória de sucesso no mercado de startups

O programa vai funcionar como um hub de conexões entre os três executivos da Rede Latitud, os fundadores das startups selecionadas, investidores e mentores convidados, criando uma rede de apoio e networking

Segundo Requarth levantar capital e fazer uma startup crescer não é um processo simples. Foi por isso que ele decidiu se juntar a Gina e Yuri para criar a Rede, afinal poder contar com pessoas experientes no mercado pode ser um diferencial para as startups que estão começando.

A primeira turma da Rede Latitud vai contar com cerca de 100 empreendedores. Os fundadores das startups selecionadas para o programa vão passar por um período de imersão diária de duas horas, onde deverão solucionar cases de problemas práticos. Também vão receber feedbacks individuais dos mentores da Rede Latitud. Ao todo serão mais de 50 mentores, incluindo nomes como Ariel Lambrecht, cofundador da 99.

A Rede Latitud não tem planos para funcionar em um espaço físico. O programa deve permanecer como um hub digital. Em entrevista para o InfoMoney, Requarth afirmou que mantendo o formato online será possível conectar mais pessoas, pois o digital elimina as barreiras geográficas que impedem a conexão entre os empreendedores.

“Nunca teremos um espaço físico. Com o formato online, conseguimos conectar as pessoas mais rápido e oferecer os melhores mentores de diversos lugares do mundo”

  Brian Requarth cofundador da Rede Latitud

O executivo também afirmou que a proposta da Rede Latitud não é investir nas startups, mas conectá-las aos investidores. Os fundadores do programa acreditam que o conhecimentos que eles possuem sobre o mercado de startups pode auxiliar os novos empreendedores a conseguir investimentos de uma maneira mais rápida. 

Startups iniciantes podem ser os novos unicórnios

Para os fundadores da Rede Latitud, a escolha de apoiar apenas startups iniciantes é porque eles acreditam que este é o melhor momento para impactar os negócios. Yuri Danilchenko afirmou que a Rede quer ajudar as startups selecionadas a entrar no “trilho das empresas bilionárias”. Uma mentoria eficaz pode fazer das novas startups verdadeiros unicórnios. Lembrando que para uma startup ser considerada unicórnio ela precisa valer mais de $1 bilhão de dólares. 

Gina Gotthilf destaca o quanto empreender pode ser caminho solitário. Poder contar com um hub de conexões pode ajudar os novos empreendedores a encontrar soluções e inspirações para desenvolver suas ideias.

Gostou do conteúdo? Então, não esqueça de compartilhar. Confira também nossa matéria sobre o que o Vale do Silício pode ensinar ao mundo.


Fonte: InfoMoney; Exame

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário