Netflix lança formato inovador de product placement

Netflix lança linha de moda com trajes de gala inspirados por halston.
Netflix lança linha de moda em parceria com a marca Halston, revolucionando as opções de product placement

Não é a primeira vez que a gigante do streaming trabalha em conjunto com uma marca para lançar roupas inspiradas em séries, mas é a primeira vez que a Netflix lança linha de moda com trajes de gala – mais especificamente, em parceria com a Halston, que recentemente teve a história de seu criador representada em uma obra na plataforma – em uma forma muito inovadora de product placement, ou, pelo menos, forma a base para que ela ocorra muito em breve.

A inspiração e a série Halston

No último dia 14 de maio, estreou na Netflix uma minissérie biográfica sobre o criador da marca, Roy Halston Frowick, interpretado pelo ator Ewan McGregor. Antes de iniciar as filmagens, a equipe conversou com Halston (a empresa) para ter acesso aos arquivos da marca e trabalhar na confecção de trajes que iriam parar na telinha. Ryan Murphy, o produtor executivo, e Jeriana San Juan, a figurinista da minissérie, começaram a conversar sobre uma parceria em outros termos após finalizar a obra, em fevereiro desse ano, e decidiram lançar uma linha de vestidos de luxo.

A minissérie abordou diversos elementos da vida de frowick, tanto no aspecto profissional quanto nas polêmicas de sua vida pessoal.
A minissérie abordou diversos elementos da vida de Frowick, tanto no aspecto profissional quanto nas polêmicas de sua vida pessoal.

A parceria e os detalhes

Com a colaboração entre as marcas firmada, restou então definir quais trajes de gala seriam trazidos às lojas especificamente. Com o auxílio direto de Robert Rodriguez, diretor criativo da Halston, foram escolhidos diversos vestidos entre os muitos itens que figuraram na minissérie. Segundo o próprio:

“Foi uma oportunidade de trazer de volta vestidos icônicos criados pelo próprio Halston, mas também reinterpretá-los para deixá-los mais modernos.”

Robert Rodriguez, diretor criativo da Halston, em papo com a Fast Company

No fim das contas, 10 vestidos icônicos do estilista, lançados entre 1970 e 1980, foram escolhidos – com base em quanto poderiam apelar ao consumidor moderno. Os nomes das peças foram inspirados em celebridades e modelos próximas a Frowick, em forma de homenagear as “Halstonetes”, como ficaram conhecidas.

Alguns exemplos são Liza, um vestido de lurex dourado; Elsa, um caftan batik de seda em azul safira; Beverly, um vestido chiffon de seda em cascata, com vermelho forte; e Anjelica, um jersey pregueado de ombro só, cujo design cintilante foi marca registrada do estilista, segundo o próprio Rodriguez. O valor dos vestidos fica entre US$ 995 (aproximadamente R$ 5,2 mil) e US$ 1.595 (cerca de R$ 8,4 mil).

Netflix lança linha de moda com trajes de gala muito inspirados nas produções de frowick e sua transposição para a minissérie halston, como os desta cena.
Netflix lança linha de moda com trajes de gala muito inspirados nas produções de Frowick e sua transposição para a minissérie Halston, como os desta cena.

O plano é que os vestidos cheguem às vitrines em agosto. Rodriguez comenta que trazer de volta a visibilidade da marca é o objetivo primário da parceria:

“A Netflix tem tanto alcance que a minissérie vai apresentar a marca a uma geração mais jovem que não conhecia a Halston. Isso vai trazer de volta o nome da Halston.”

Robert Rodriguez, diretor criativo da Halston, para a Fast Company

O aspecto inovador

Curiosamente, o serviço de streaming não vai lucrar com a venda das peças – a jogada bastará como uma estratégia de marketing para alavancar a visibilidade de ambas as marcas, com a Halston voltando aos holofotes e a Netflix fazendo propaganda em lugares cada vez mais diferentes – apesar da enorme audiência, que já ultrapassou a da TV paga há um bom tempo.

Anteriormente, em 2009, a marca já havia feito uma parceria, desta vez com a H&M, para trazer às lojas algumas roupas inspiradas na série nostálgica oitentista Stranger Things. O que é novo na parceria com a Halston, no entanto, é o tipo de product placement – também chamado de marketing indireto, quando o produto é mostrado sutilmente em produções ao invés de anúncios. Neste caso, o produto que é mostrado na obra ficaria disponível para que você compre no mesmo momento em que está assistindo, levando esse product placement para outro nível de eficiência e engajamento.

Imagine estar vendo a série e poder comprar o vestido incrível que o estilista acabou de criar na cena - essa é a força do product placement criado com a parceria entre netflix e halston.
Imagine estar vendo a série e poder comprar o vestido incrível que o estilista acabou de criar na cena – essa é a força do product placement criado com a parceria entre Netflix e Halston.

Apesar desse lançamento específico vir com um certo atraso – dada a diferença de tempo entre a estreia da série e dos produtos derivados – o precedente e a parceria estão abertos, e a partir do momento em que os espectadores puderem literalmente comprar o que estão vendo na tela de forma fácil, essa revolução estará realmente acontecendo. Isso é interessante não apenas para o anunciante, mas também para a marca, que pode atrelar uma história ao produto de uma forma nunca antes vista, abrindo a possibilidade para diversos tipos de mídia começarem a reproduzir essa modalidade de product placement.

O desafio com esse tipo de marketing é acentuado principalmente com marcas de luxo, e a Halston conseguiu responder a isso com maestria. Pelo menos no mundo ocidental, essa estratégia era ainda inédita, então estamos assistindo – ou melhor, fazendo streaming de – uma forma muito inovadora de marketing nascer, e como ela tomará forma irá depender de mais iniciativas entre empresas para gerar parcerias como essa. Desenhar o produto especificamente para lançá-lo tanto como um item importante em uma série ou filme quanto para a venda não é novidade – mas deixá-lo à venda numa loja virtual acessível ligada diretamente àquele programa, sim, e Netflix e Halston lançaram as bases para que isso aconteça de verdade.

Fontes: Fast Company | Tatler

Veja também:

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário