Mercado de PCs tem pequena retração no 1° trimestre do ano, afirma IDC Brasil

Desktops
Segundo relatório da IDC Brasil, queda no mercado de PCs no Brasil só não foi maior graças aos gamers e ao setor corporativo

Depois de revelar o relatório para o setor de venda de celulares no Brasil no primeiro trimestre de 2019, agora a IDC Brasil, empresa líder em inteligência de mercado e serviços de consultoria para o mercado de tecnologia da informação, divulgou os resultados de seu estudo no mercado de PCs nos primeiros três meses deste ano. 

Assim como aconteceu no mercado mobile, a venda de unidades teve uma leve queda, mas o faturamento subiu, segundo o relatório da IDC Brasil. O resultado, apesar de negativo, é animador, mostrando a força do terceiro maior mercado gamer do mundo, os gamers brasileiros. Eles foram responsáveis pela maior fatia do mercado de PCs neste início de ano, diminuindo a retração que era esperada para o setor.

IDC Brazil PCs Tracker Q1/2019

Mercado de PCs
Notebooks e desktops apresentaram alta nos preços e consequentemente, queda nas vendas.

De acordo com o relatório IDC Brazil PCs Tracker Q1/2019, o mercado de PCs brasileiro contabilizou a venda de 1,268 milhão de computadores no período que se refere aos três primeiros meses do ano. O número é uma queda de 5% em relação ao mesmo período em 2018.

Desse número total, o Brasil contabilizou a venda de 381 mil desktops e 887 mil notebooks, uma queda de 4% e de 6%, respectivamente, em comparação ao primeiro trimestre do ano passado.

Apesar do número negativo, a IDC Brasil afirma que a retração poderia ter sido muito maior, não fossem os gamers e o setor corporativo, responsáveis pela maior fatia do mercado de PCs no primeiro trimestre de 2019. Para o usuário doméstico, a queda na venda de PCs foi de 8%.

“O desktop personalizado pelo próprio usuário, configurado para rodar seus jogos preferidos, é o caminho mais rápido e econômico de entrar no mundo dos games, e neste começo de ano foi o responsável por um volume importante de máquinas no mercado de consumo”

Wellington La Falce, analista de pesquisa da IDC Brasil

Preços mais altos

Notebooks à venda
Queda na venda de notebooks no primeiro trimestre de 2019 foi de 6%

Além da diminuição habitual no varejo brasileiro nos três primeiros meses do ano, a alta dos preços dos PCs foi um dos principais motivos para a retração no mercado de PCs no período avaliado pela IDC Brasil.

Segundo o relatório apresentado, o Brasil apresentou uma alta média de 14%, motivado pelo fim de incentivos do governo e pela alta do dólar. Para o consumidor doméstico, por exemplo, a alta apresentada pela IDC Brasil no mercado de PCs foi de 10%.

“Viemos de dois anos seguidos de alta, com forte crescimento nas vendas de portáteis. É natural, portanto, uma demanda menos agressiva. Além disso, tem a questão preço. Os notebooks ficaram, em média, 14% mais caros, consequência do fim dos incentivos da Lei de Informática e do dólar mais alto”

Wellington La Falce, analista de pesquisa da IDC Brasil

Arrecadação maior

Grande procura por PCs gamers foi um dos motivos da alta na arrecadação do setor (Imagem: Deposit Photos)
Grande procura por PCs gamers foi um dos motivos da alta na arrecadação do setor (Imagem: Deposit Photos)

Mas com um preço mais alto, é claro que a arrecadação tende a subir junto, mesmo com a retração nas vendas. A alta de 10% no valor dos PCs para o usuário doméstico provocou um aumento de 7% no faturamento do setor neste primeiro trimestre de 2019, arrecadando cerca de 2 milhões de reais.

No mercado corporativo, o preço médio de PCs teve uma alta de 21% e o faturamento das vendas para o setor foi de 1,4 bilhão de reais, 15% a mais que o faturamento do mesmo período em 2018.

Além disso, a comercialização de notebooks e desktops considerados gamers, com uma configuração mais robusta e consequentemente mais caros, também contribuiu para uma maior arrecadação do mercado de PCs no primeiro trimestre deste ano.

Previsão para o mercado de PCs

Apesar da retração apresentada, a análise da IDC Brasil é um pouco otimista. Segundo o relatório, o mercado de PCs no Brasil deverá crescer 1% em 2019, com expectativa de vendas de 5,6 milhões de unidades.

Assim como nos três primeiros meses do ano, os gamers deverão seguir esquentando o mercado de PCs no Brasil, comprando desktops apropriados para os melhores jogos do mercado e ajudando em melhorar os resultados do setor no Brasil.

“O computador continua insubstituível. O consumidor final até pode investir em outros devices, mas as empresas sabem que nenhum dispositivo gera a mesma produtividade de um PC”

Wellington La Falce, analista de pesquisa da IDC Brasil

O setor educacional também deverá ajudar no fortalecimento do mercado de PCs no Brasil neste ano de 2019, partindo da preocupação com segurança de dados e para se preparar para se adequar à LGPDP – Lei Geral de Proteção de Dados – provocando uma busca por máquinas mais novas nas instituições de ensino.

Outro fator que pode favorecer o fortalecimento do mercado de PCs é o fim do suporte da Microsoft ao Windows 7, que acontecerá em janeiro de 2020 e pode acabar impulsionando as empresas a comprarem novos computadores, mais potentes e capazes de rodar o atual sistema operacional da Microsoft, o Windows 10.

2 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

Deixe uma resposta