Lojas de departamento da Amazon serão abertas nos EUA, segundo rumores

Lojas de departamento da amazon serão abertas nos eua, segundo rumores
A medida ameaça a gigante varejista Walmart. Ainda é discutido se realmente é uma boa ideia abrir lojas físicas em meio à pandemia de COVID-19

Que a Amazon é o varejista atual que mais lucra no mundo não é novidade. Por conta disso e através de algumas pesquisas na área, estipula-se que lojas de departamento da Amazon poderão ser abertas em breve — por enquanto, apenas nos Estados Unidos. Apesar da empresa já possuir lojas pequenas, como livrarias, a intenção agora é superar a maior concorrente do ramo, Walmart. Entenda o caso.

Como seriam essas lojas de departamento da Amazon?

Reportagens americanas dizem que, pessoas mais próximas dos planos da Amazon dizem que essas lojas podem ser abertas em vários locais dos Estados Unidos. O tamanho delas poderá ser um pouco menor do que as geralmente vistas por lá e serão vendidos produtos das marcas mais requisitadas, algo que já é possível ver mesmo em sua plataforma digital. Entre seus produtos estão estipulados — também como em seu site ou app — produtos eletrônicos, utensílios de casa, roupas e etc.

Lojas de departamento da amazon serão abertas nos eua, segundo rumores
Caso abram lojas físicas da Amazon nos EUA, talvez veremos mais unidades ao redor do mundo?

Os rumores sobre as lojas de departamento da Amazon ainda mencionam a possibilidade de serem inauguradas as primeiras lojas em Ohio e Califórnia. Também é dito que serão usadas as melhores tecnologias possíveis nessas lojas, tais como caixas sem atendentes, em que os clientes poderão utilizar as máquinas disponíveis para pagar suas compras e uma possível variação no valor pago caso a pessoa seja assinante do seu serviço pago, o Amazon Prime.

As lojas de departamentos não morreram porque o conceito de uma loja que estoca muitos produtos é irrelevante. Se fosse assim, um varejista como a Target, que é essencialmente uma loja de departamentos para a era moderna, não estaria prosperando

Neil Sainders, diretor-gerente de Análises Varejistas da GlobalData

Amazon x Walmart

O aumento no consumo da Amazon tem sido exponencialmente grande, principalmente se compararmos com outra gigante americana, a Walmart. Esse aumento nas vendas não está sendo o suficiente para se conter em produtos comprados online — a empresa bilionária quer ir além, trazendo unidades físicas e concorrendo, ou até mesmo superando, a atual liderança no varejo. Entre o período de junho de 2020 e junho de 2021 a Amazon vendeu US$ 610 bilhões, contra US$ 566 bilhões da Walmart, no mesmo período, de acordo com uma pesquisa financeira da FactSet.

Walmart
Amazon já mostra mais resultado em vendas do que Walmart, nos Estados Unidos

O fato da Amazon superar a Walmart em vendas já era algo previsto por analistas da área, geralmente porque uma empresa nova costuma pegar erros das concorrentes ao seu favor. O procurador-geral Karl Racine, de Washington, capital dos Estados Unidos, atualmente está processando a Amazon alegando que a empresa está monopolizando e controlando o valor dos produtos, algo que pode se intensificar com vendas físicas. Alguns especialistas dizem que essa possível abertura de lojas de departamento da Amazon pode ser considerada, além de uma medida para evidenciar ainda mais suas vendas e lucros, talvez ainda seja a última pá de areia na Walmart.

Um jornal americano ainda listou algumas razões pelas quais abrir lojas físicas talvez seja uma ideia um tanto audaciosa:

  • Alguns clientes podem estranhar ao associar as vendas atuais da Amazon com outros produtos um tanto quanto diferentes dos já habitualmente vistos na plataforma, tais como bocais de lâmpada e baterias em geral;
  • Clientes da Amazon poderão ver e tocar os produtos que anteriormente era só possível ter acesso visualmente antes da compra de fato. Apesar da desaceleração nesse tipo de comércio e alta adaptação em compras online, compras físicas ainda são uma realidade;
  • Uma das possíveis estratégias da Amazon é justamente construir essas lojas de departamento em locais mais afastados de shopping ou tráfegos mais intensos, assim como vemos com alguns outlets atualmente;
  • Por conta do tamanho físico das lojas ser menor que as tradicionais, uma possível baixa no valor dos produtos também pode ser viável, uma vez que outros custos, como o de funcionários, também será teoricamente baixo;
  • As lojas de departamento da Amazon podem se tornar pontos inteligentes, como mini centros logísticos, ajudando consumidores que não encontram algum produto em seu catálogo online a procurar nessa loja física ou até mesmo agendado uma retirada, assim que estiver disponível;
  • E, claro, competir com grandes lojas de departamento atuais, tais como as americanas Macy’s e Walmart.

Lojas físicas em meio à pandemia

Um fato é que a maioria das lojas físicas, seja de departamento ou não, acabaram sofrendo bastante por conta da necessidade das pessoas ficarem reclusas em suas casas. Após as primeiras remessas de vacinas nos Estados Unidos, foi visto um aumento nas compras presenciais em lojas de departamento. A Amazon pretende trazer esse costume novamente, uma vez que possui clientes fieis em todo o mundo. Será que veremos uma unidade dessas em terras nacionais?

Veja também:

Confira como foi a receita da Amazon recentemente.

Fonte: PCMag e Insider.

Tags

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário