Google pode desenvolver processador próprio para Chromebooks e smartphones Pixel

image 6
Rumores apontam que o Google estaria desenvolvendo um processador próprio para as próximas gerações do Pixel e do Chromebook
Anúncio
Samsung  campanha  Connected Living para promover conectividade de produtos  do lar

Parece que o Google pode estar equipar com um processador próprio os smartphones Pixel e os Chromebooks em breve. Rumores apontam que a empresa estaria desenvolvendo seu próprio processador para smartphones e notebooks baseados na arquitetura ARM, como também deve ocorrer com a Apple.

O primeiro a funcionar com o processador próprio do Google seria o Pixel, em pouco mais de um ano. Em seguida, a tecnologia seria implementada nos Chromebooks. Isso poderia ajudar o Google a competir melhor com a Apple e afetar a Qualcomm, que oferece processadores para diversos smartphones, incluindo o Pixel.

Em smartphones, o processador é importante porque determina características como velocidade, capacidade e duração da bateria do modelo.

Whitechapel: um processador próprio para as necessidades do Google

O processador, cujo codinome é Whitechapel, seria do tipo ARM e teria sido desenvolvido em conjunto com a Samsung, que usaria sua tecnologia para fabricação. A Samsung já fabrica seu próprio processador para aplicação mobile, chamado Exynos, a além dos chips A-Series, para a concorrente Apple.

Os rumores apontam que o Google já testou as primeiras versões do Whitechapel nos Pixels, mas o processo estaria em fase preliminar. Ainda levaria pelo menos um ano até o processador do Google ser completamente implementado no Pixel. E as versões subsequentes desse processador poderiam ser implementadas nos Chromebooks.

Modelos de smartphone Pixel que devem receber processador próprio do Google
O Pixel poderá funcionar com processador do Google em breve

O Whitechapel também teria hardware otimizado para funcionar com a tecnologia de machine learning do Google. E parte desse processador também seria dedicado a melhorar a performance e as capacidades do Google Assistant.

O Google não se manifestou oficialmente sobre a existência e os detalhes do processador até a publicação desta nota.

Corrida dos processadores

A Apple foi a pioneira em desenvolver um processador próprio do tipo ARM com os A-Series, que atualmente funcionam nos iPhones e iPads. E a empresa parece estar desenvolvendo versões para MacBooks e iMacs, que atualmente usam a 10ª geração de processadores da Intel.

Parte da frente de um Macbook Pro
MacBooks funcionam com processadores da Intel, ao menos por enquanto

Segundo o analista Ming-Chi Kuo, apesar da Apple ter parceria com a Intel há quase 20 anos, os processadores ARM já apresentam performance melhor que os da Intel para Macs – mas sem considerar a otimização dos softwares. A transição parece ser uma questão de tempo e deve acontecer em 2021.

A Samsung também desenvolve seu processador próprio para smartphones, o Exynos. Mas usuários tem reclamado de superaquecimento e problemas de autofoco no sistema de câmeras do modelo topo de linha Samsung Galaxy S20 Ultra.

Sistema de câmeras do Samsung Galaxy S20 Ultra
Usuários tem relatado problemas de performance no Samsung Galaxy S20 Ultra equipado com o processador Exynos 990

Os problemas também parecem ter ocorrido nos modelos S20 e S20+, mas a frequência foi maior no S20 Ultra, equipados com o processador Exynos 990 – em determinados mercados há versões dos smartphones equipadas com o processador Snapdragon 865, da Qualcomm, que parecem não ter sido afetadas. Os usuários reclamaram nos fóruns da Samsung e no Twitter que o superaquecimento ocorria durante o uso normal do smartphone.

A corrida dos processadores parece ser, acima de tudo, uma corrida de obstáculos.

Fontes: Axios, Mac World e 9to5Google

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário