G Suite agora é Google Workspace, com recursos integrados

Ícones do novo Google Workspace
Google Workspace traz mudança visual, novos recursos colaborativos e novas opções corporativas de assinatura
Anúncio
Samsung  campanha  Connected Living para promover conectividade de produtos  do lar

O Google anunciou, nesta terça-feira (06), que o G Suite vai passar a se chamar Google Workspace. A mudança de nome também traz uma mudança visual e alguns recursos colaborativos novos para o conjunto de ferramentas para trabalho e produtividade do Google Cloud.

Esse rebranding, segundo a empresa, marca um novo posicionamento em relação aos seus serviços da nuvem (Gmail, Drive, Meet, Agenda etc). Ainda de acordo com o Google, os serviços visam facilitar o acesso a partir de qualquer lugar que tenha conexão de internet e criar recursos que otimizem a colaboração entre pessoas e equipes.

“O local de trabalho realmente abraçou a ideia de que ele pode ocorrer em qualquer lugar e não é necessariamente um espaço definido  só por processadores de texto, planilhas e apresentações de slides. O Google Workspace, tanto a marca quanto o posicionamento de identidade, torna-se uma parte crítica desse novo momento.”

Javier Soltero, vice-presidente do Workspace

O executivo também apontou que esse novo posicionamento, que vinha sendo planejado desde 2019, foi impulsionado pelo crescimento da demanda por trabalho remoto durante a pandemia do novo coronavírus.

As iniciativas de educação e sem fins lucrativos, porém, ainda mantém o nome G Suite. Mas isso deve ser alterado nos próximos meses.

Novidades do Google Workspace (além do nome)

Ícones do novo Google Workspace
Google Workspace traz novo visual e recursos colaborativos

No quesito visual, todos os serviços da nuvem do Google — como Gmail, Drive, Meet, Agenda, Documentos, Planilhas, Apresentações etc — agora contam com novos ícones.

Já em relação à experiência do usuário, novos recursos chegam aos serviços do Google Workspace. Entre eles estão:

  • Links com preview: permite ao usuário visualizar uma prévia do conteúdo de um link sem precisar clicar nele e ser redirecionado para outra página;
  • Dicas inteligentes: ao mencionar um usuário (digitando @ e o nome da pessoa), o sistema sugere ações como compartilhar um documento, mandar e-mail, adicionar a pessoa numa tarefa etc;
  • Criação de documentos no Rooms: em breve, será possível criar arquivos dentro do Rooms (espaço colaborativo dentro do Gmail para discutir assuntos e compartilhar conteúdos) sem precisar acessar outras páginas;
  • Visualização da equipe durante colaboração em arquivos: chamadas de vídeo do Meet terão recurso picture-in-picture em serviços como o Documentos, Planilhas e Apresentações (recurso sem data de lançamento até a publicação desta matéria).
Imagens dos novos serviços do Google Worspace
Serviços do Google Workspace trazem novos recursos colaborativos

O Google também apresentou novidades na segurança do Meet, usado para chamadas de vídeo e videoconferências. O Workspace vai classificar usuários que “causaram tumulto” em reuniões antigas para barrá-los em reuniões futuras.

Já em relação a gestão de e-mails, a empresa traz um recurso novo que vai permitir aos administradores de sistema terem mais visualização e controle de ações tomadas por usuários. Na prática, o Google acredita que isso vai dificultar possíveis vazamentos de dados.

Novos planos de assinatura

Ícones do novo Google Workspace
Google Workspace também traz novas opções de assinatura para empresas

Além dos novos ícones e recursos, o Google anunciou três modalidades novas de assinatura dos seus serviços, todas voltadas para empresas que teriam menos de 300 licenças. São elas:

  • Business Starter (R$27 por usuário): pacote com recursos básicos e e-mail corporativo integrado ao Gmail;
  • Business Standard (R$54 por usuário): recursos do Starter mais videoconferências que suportam maior número de pessoas e armazenamento elevado;
  • Business Plus (R$81 por usuário): recursos do Standard mais segurança reforçada e gestão em smartphones.

A empresa informou que esses são preços para novas assinaturas no Google Workspace. Isso significa que os preços e os serviços não mudam para empresas que já tinham assinado o (então) G Suite.

Segundo o Google, o G Suite (agora Google Workspace) ultrapassou a marca de seis milhões de empresas pagantes mensais em março deste ano. Ainda de acordo com dados da empresa, seus serviços em nuvem atendem, globalmente, um público de 2,6 bilhões de usuários. Entre eles estão empresas, escolas e usuários individuais.

Fonte: Tech Crunch


E você, o que achou desse novo nome Google Workspace? Conte para nós aqui nos comentários!

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário