PwC: 60% das empresas no Brasil pretendem contratar nos próximos meses

Pwc: 60% das empresas no brasil pretendem contratar nos próximos meses
Pesquisa aponta um aumento exponencial nas contratações, assim como mais aderência ao home office ou modelo híbrido de trabalho

A pandemia de COVID-19 trouxe diversas mudanças em todo o mundo, principalmente no que tange assuntos profissionais. Um destes destaques foi a mudança de trabalho presencial para home office ou híbrido, quando as duas modalidades funcionam. De acordo com uma pesquisa da PwC (PricewaterhouseCoopers), muitas empresas no Brasil pretendem contratar mais pessoas, ainda durante a pandemia e visando um aumento expressivo enquanto chegamos aos seus estágios finais.

O que é a PwC?

PwC é o nome pelo qual é conhecida atualmente, uma sigla para PricewaterhouseCoopers, uma empresa que oferece vários serviços no ramo de auditoria e consultoria empresarial. Apesar de ter sede estrangeira, a pesquisa foi feita por sua unidade brasileira. O foco atual foi conferir como andam as contratações e suas prospecções, de acordo com os impactos da pandemia na indústria.

Resultados da pesquisa

O período avaliado neste caso foi de cinco meses, entre outubro de 2020 e março de 2021, e apontam que, conforme as empresas ouvidas pela PwC, houve um aumento de 30% nas contratações, havendo mais destaque para os setores de tecnologia e agronegócio, e ainda mencionaram que 60% há pretensão de realizar contratações nos próximos meses. Essas mesmas empresas entrevistadas ainda falaram que houveram algum tipo de alteração na política de certos benefícios, tais como suspensão temporário no contrato de trabalho e concessão de férias, sejam elas individuais ou coletivas.

Nossa pesquisa mostra que a pandemia trouxe avanços e mudanças estruturais permanentes na gestão dos trabalhadores, como na adoção do trabalho à distância e mais políticas de retenção de talentos

Flávia Fernandes, sócia da PwC Brasil

Da empresa para casa ou qualquer lugar

Outro assunto que foi bastante abordado durante a entrevista foi acerca dos modelos de trabalhos que estão sendo mais explorados e aplicados durante a pandemia, assim como as intenções de permanecer assim após este período. Houve uma observação sobre a redistribuição dos funcionários para outras cidades no Brasil, e inclusive no exterior; mais ações em proteção ao fluxo de caixa e até uma readequação na força de trabalho.

Empresas no brasil pretendem contratar mais este ano
Há quem prefira, por exemplo, trabalhar remotamente numa cafeteria

Conforme a pandemia se instalava e as empresas precisavam imediatamente se adequar às novas medidas preventivas — para funcionários e possíveis clientes — também observou-se uma drástica mudança em rotinas de escritório, sendo uma expressiva parcela dessas empresas adotando o home office como forma exclusiva de trabalho: 79% dessas empresas já possuem interesse em manter ou até mesmo implementar este modo. Já outras 68% das empresas querem aplicar o modelo híbrido de trabalho, ou seja, os funcionários devem revezar suas atividades remotas com as presenciais.

Além do conceito de home office aplicado para que as pessoas pudessem trabalhar remotamente em suas casas, há também empresas que oferecem oportunidade para que seus empregados trabalhem não somente em casa, mas literalmente de qualquer lugar. 28% das empresas no Brasil adotaram este método, assim, seus funcionários não precisam necessariamente estar em sua residência, mas que pudessem trabalhar em outros estados ou até mesmo em outro país, mesmo que não seja de sua contratação de origem. Uma vez que bons resultados foram vistos ao aplicar estes métodos, 38% das empresas decidiram permanecer dessa maneira.

Quanto às empresas em si

Outras informações sobre como a empresa se comporta também foram levantadas. Essa readequação às novas medidas e métodos de trabalho por conta da pandemia também reforçou o funcionamento pleno e seguro de suas atividades diárias. No que se refere à proteção no fluxo de caixa, foram vistos que 54% dessas empresas optaram por usar créditos previdenciários ou tributários, assim como empréstimos bancários. Outra ação vista durante a entrevista foi a redução na infraestrutura das empresas, o que significou um aumento em 17%, se comparada com a pesquisa anterior.

A maioria das medidas e iniciativas tomadas em decorrência da pandemia foram vistas como permanentes, as que mais se destacaram nesse sentido foram sobre a higienização destes ambientes de trabalho, a melhoria de controles aos acessos, aumento significativo em processos e tecnologias diversas, bem como a necessidade de se conceber algum tipo de comissão para gerenciamento de crises. Das empresas entrevistadas, 77% afirmaram que houve uma reanálise de suas políticas e procedimentos, assim como os design e layouts de seus ambientes de trabalho também foram reavaliados, principalmente para cumprir as novas normas necessárias, como consequência da pandemia.

Benefícios aos funcionários

Trabalho remoto - home office
Empresas se preocupam em reembolsar funcionários por seus gastos com o trabalho

Uma outra parcela dessas empresas pensaram sobre os custos e gastos que seus funcionários teriam para poder oferecer sua mão de obra em casa. 10% das empresas entrevistadas na pesquisa anterior realizavam reembolsos nas despesas que seus colaboradores tivessem, tais como telefone e internet, e agora este número mais do que dobrou, mostrando que 23% das empresas já realizam esse tipo de ação, e outras 30% possuem interesse em aplicar o método, evidenciando uma atenção no que se refere ao que o funcionário faz para entregar um trabalho de qualidade.

Veja também:

Apesar dos números mostrados, 86% dos brasileiros não conseguem trabalhar por home office, entenda.

Fonte: PwC.

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário