Claro, Ericsson e Qualcomm concluíram o primeiro teste do 5G na América Latina

5G
As três empresas uniram esforços para a realização bem-sucedida do primeiro teste de 5G na América Latina; o ensaio ocorreu em São Paulo

Enquanto o Governo e a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) encontram empecilhos para a implantação da rede 5G no país, empresas de tecnologia e telefonia começam a se mexer. A Claro, em conjunto com a Ericsson e a Qualcomm, anunciou na noite de segunda (17) que concluiu o primeiro teste de conexão 5G através de compartilhamento dinâmico de espectro (DSS) com a rede 4.5G.

As três companhias uniram esforços e expertises para que a experiência desse certo. A transação dos dados contou com solução Spectrum Sharing (ESS) da Ericsson e um smartphone 5G (protótipo). Ambos estavam equipados com o Qualcomm Snapdragon X55 5G.

“O bem-sucedido teste realizado em colaboração com a Ericsson e a Qualcomm Technologies demonstrou que as tecnologias convivem de forma harmoniosa. O compartilhamento de espectro existente permitirá à Claro implementar o 5G de forma ágil e dinâmica, conforme a penetração de smartphones 5G cresça.”

disse André Sarcinelli, Diretor de Engenharia da Claro.
Teste do 5G realizado em São Paulo contou com expertises da Claro, Ericsson e Qualcomm
Teste do 5G realizado em São Paulo contou com expertises da Claro, Ericsson e Qualcomm

O ESS da Ericsson viabiliza a implantação das redes 4.5G e 5G na mesma banda por intermédio de uma atualização de software. A troca entre portadores (4.5G e 5G) acontece em milissegundos, aumentando a eficiência de uso de espectro e, consequentemente, permite ao usuário a melhor experiência com o 5G. O primeiro ensaio utilizou o espectro da Claro, na sede da empresa, em São Paulo.

“A Ericsson é uma empresa de tecnologia líder em 5G. Os clientes nos selecionam em todo o mundo como parceiros 5G – fomos pioneiros na implementação do 5G em quatro continentes e hoje já somam 24 as redes comerciais ativas nos EUA, Europa, Coréia do Sul, Austrália e Oriente Médio”.

diz Rodrigo Oliveira, Vice-Presidente de Negócios da Ericsson.
Ericsson
O primeiro teste contou com o ESS, da Ericsson

A Claro explica que o compartilhamento dinâmico de espectro (DSS) para o 5G é um recurso fundamental, no qual permitirá a migração branda do 4.5G para o 5G. A tecnologia também propicia a rápida oferta da rede com ampla cobertura. 

“O compartilhamento dinâmico de espectro trará benefícios importantes para operadoras e consumidores em todo o mundo, ajudando a fornecer serviços 5G amplamente aos consumidores”.

afirma Fiore Mangone, Diretor de Desenvolvimento de Negócios da Qualcomm Servicos de Telecomunicacoes.

A Claro acredita que com as demais frequências previstas no leilão da rede no Brasil, a disponibilidade do 5G ficará ainda maior para os clientes brasileiros, onde permitirá outras aplicações e promovendo uma verdadeira transformação digital no país.