Brasil lidera ranking de projetos de transformação digital

O índice de projetos de transformação digital no Brasil está acima da média mundial
Pesquisa da Dell revelou que, no Brasil, 87,5% das empresas fizeram projetos de transformação digital durante a pandemia; média mundial é de 80%

Uma pesquisa realizada pela Dell Technologies, uma das principais empresas de tecnologia do mundo, mostrou que o Brasil é o país que mais criou projetos de transformação digital durante a pandemia do novo coronavírus. De acordo com o estudo, neste ano, a média mundial de inovação ficou em 80%, enquanto cerca de 87,5% das empresas presentes no Brasil apresentaram alguma ação tecnológica durante o período de crise sanitária.

O Índice de Transformação Digital foi realizado pela terceira vez e mediu este nível em 18 países, com participação de mais de 4 mil líderes de médias e grandes instituições, das mais diferentes áreas.

O especialista em IoT (Internet das coisas), Fabiano Sabatini, comenta que a avanço digital já estava acontecendo há algum tempo, mas de forma morosa. Com a chegada do coronavírus, foi preciso acelerar muitos desses processos.

“A pandemia exigiu uma adaptação urgente para as empresas trazendo a necessidade de focar em uma infraestrutura para lidar com o momento atual, ao mesmo tempo em que é essencial pensar no pós-pandemia e investir em tecnologias não só para o desenvolvimento quanto para a sobrevivência em um mercado cada vez mais atualizado e competitivo”, diz.

Fabiano Sabatini, especialista em IoT da Dell Technologies

Exemplos de projetos de transformação digital

Empresas públicas e privadas se reinventaram durante a pandemia e criaram diversas iniciativas de digitalização
No Brasil, em razão da pandemia, diversas empresas tiveram que romper com práticas tradicionais e adotar estratégias digitais para seus negócios

A lista de empresas inovadoras conta com marcas de todos os segmentos do mercado. No entanto, o exemplo maior disso vem do setor público que, com a chegada do vírus, os governos municipais, estaduais e federal tiveram que adotarem em poucos dias medidas para continuar prestando serviço à população, mesmo com o aumento do número de infectados.

No caso do governo federal, centenas de serviços foram digitalizados, passando a ser realizados totalmente online. A implantação do auxílio emergencial foi realizada totalmente à distância e impactou positivamente a vida de mais de 65 milhões de brasileiros.

Em São Paulo, o governo estadual lançou o aplicativo “PoupaTempo Digital”, oferecendo 60 serviços públicos pelo celular ou pelo computador, para evitar que os cidadãos fossem aos postos físicos, que estavam fechados. Renovação de CNH, acesso ao seguro desemprego, autenticidade de certidões e acordos com a empresa de habitação municipal (CDHU) são alguns serviços.

Já no setor privado, os maiores exemplos de digitalização vieram do setor de restaurantes e bares, que migraram para aplicativos de delivery na tentativa de manter, pelo menos, o quadro de funcionários, em razão do isolamento social que afastou os clientes de suas lojas.

As empresas de cosméticos também se reinventaram neste período e digitalizaram uma tradição muito presente nas companhias: as vendas realizadas porta a porta pelas revendedoras. Desde abril, as representantes podem vender os produtos pelas plataformas digitais das marcas, sem ter necessidade de ir à casa dos clientes juntar os pedidos.

Investimentos em Tecnologia da Informação

Para futuros projetos de transformação digital, as empresas estão preocupadas com a rede 5G
O principal investimento das empresas a curto prazo é na conexão 5G, que vai contribuir com os projetos de transformação digital

A pesquisa da Dell também revelou dados sobre os investimentos que as empresas fizeram na área de TI (Tecnologia da Informação), haja vista que ela é a protagonista quando falamos de projetos de transformação digital.

Como as empresas precisam se adequar à realidade da sociedade, que se tornou online, 96% reconheceram que a pandemia mostrou a importância de ter uma boa infraestrutura de TI de forma a atender às necessidades dos negócios.

Outro dado interessante é que 40,6% das empresas tiveram que aumentar os esforços para evitar ataques cibernéticos. Esse dado, inclusive, vai ao encontro do divulgado pela Kaspersky, uma grande empresa de cibersegurança, em setembro, mostrando que o Brasil foi alvo de metade de todos os ataques cibernéticos que ocorreram no mundo durante a crise sanitária.

Por isso, houve um crescimento na compra de produtos e serviços que garantissem a segurança dos dados da empresa, principalmente daquelas em que parte dos funcionários estão trabalhando de forma remota.

Ainda segundo a pesquisa, atualmente, o investimento da maioria das corporações (66%) está concentrado na cibersegurança e privacidade. Já para o futuro, a projeção é que a prioridade será preparar o ambiente corporativo para a chegada da internet 5G.

Para o líder da Dell Technologies Brasil, Diego Puerta, “mais do que nunca, ter uma infraestrutura de TI moderna e escalável passou a ser uma condição essencial para que as empresas sobrevivam ao cenário de pandemia e, principalmente, tenham sucesso de médio e longo prazos”, afirma.

Ainda há barreira para a transformação digital no Brasil

Apesar deste resultado satisfatório, as empresas brasileiras ainda encontram barreiras para montar projetos de transformação digital eficazes. No estudo foi quase consenso entre os entrevistados que há, sim, barreiras inovadores no país.

O principal desafio apontado pelos líderes foi a falta de crescimento econômico, seguida da incapacidade de extrair informações importantes, além da necessidade de regulamentações ou mudanças nas leis locais.


E você, o que espera da transformação digital? Acha que ainda há muita coisa para se digitalizar? Deixe seu comentário aqui embaixo.

Fonte: Dell Technologies

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário