Boston Dynamics começa a vender nos EUA o Spot, o robô cachorro

0.8u0tum8yhkefroala 1545145869814 Image7 scaled
O famoso robô cachorro da Boston Dynamics será comercializado nos Estados Unidos para empresas, ao valor de um Tesla Model S

Se você é um entusiasta (ou apenas uma pessoa curiosa por tecnologia) certamente já ouviu falar da Boston Dynamics. A empresa norte-americana é conhecida mundialmente pela criação, desenvolvimento e testes de robôs extremamente inteligentes e eficientes. Agora, seu robô de quatro pernas, chamado Spot, começará enfim a ser vendido no mercado.

Após anos em desenvolvimento, a empresa começou a vender sua máquina (em um esquema de leasing) para algumas empresas em 2019. No entanto, a partir deste ano o Spot será comercializado nos Estados Unidos a partir de US$ 74.500,00.

Spot, o “robô cachorro” da Boston Dynamics

Se analisarmos cuidadosamente, o preço é bem alto por um robô e equivale a quase o valor de um Tesla Model S de luxo. Porém, segundo a própria Boston Dynamics, com esse investimento você adquire o robô móvel mais avançado do mundo, capaz de ir a praticamente qualquer lugar que um humano consegue (contanto que não haja escadas nesse percurso).

Embora o Spot seja ágil, a capacidade do “robô-cachorro” atualmente está limitada principalmente a pesquisas e coleta de dados. Testes realizados com o robô mostram que ele é capaz de criar mapas 3D de canteiros de obras e procurar falhas de máquinas em plataformas de petróleo. Além disso, outros testes também demonstram que o Spot pode ajudar os hospitais na triagem de pacientes com COVID-19 e, até mesmo trabalhar com um esquadrão antibomba da polícia.

robô spot da boston dynamics
O robô Spot possui diversos sensores e tecnologias de alta qualidade que o tornam o robô mais avançado do mundo

Além de eficiente, o Spot é classificado como uma plataforma móvel de multipropósito, ou seja, ele pode ser personalizado e programado de diferentes formas com vários sensores para executar as mais diversas tarefas. Em uma entrevista ao portal norte-americano The Verge, o engenheiro de robótica da Boston Dynamics, Zack Jackowski, afirmou:

“Vendemos o robô principalmente a clientes industriais e comerciais que possuem um sensor que desejam levar a um lugar que não desejam que alguém vá” […] “Geralmente porque é perigoso ou porque eles precisam fazer isso com tanta frequência que deixaria alguém louco. Como carregar uma câmera pela fábrica 40 vezes por dia e tirar as mesmas fotos todas as vezes.”

A empresa informa que continuará atualizando o Spot à medida que obtém feedback dos clientes, mas que o robô está finalmente pronto para a venda geral. Um recurso no qual o Boston Dynamics está trabalhando atualmente é a teleoperação remota para o robô. Uma versão demo desse recurso estará disponível para clientes em potencial do Spot, que poderão obter uma unidade para um test drive em um curso especial realizado na sede da empresa ou agendado na casa/escritório do cliente.

Segundo o presidente de desenvolvimento de negócios da Boston Dynamics, Michael Perry, essa opção para testar o Spot vai permitir que os consumidores experimentem o robô antes de realizarem um investimento tão alto. Além disso, a empresa se adaptou aos tempos de pandemia e permite que o usuário possa testar o robô na sede da empresa ou mesmo na sua residência ou escritório.

Conforme divulgado em diversos vídeos de teste, o Spot pode se levantar por conta própria, caso ele caia. Utilizando um modo de teleoperação com um aplicativo do smartphone conectado ao Spot, basta pressionar um botão e o robô irá rolar para o lado e então irá se empurrar para cima com suas pernas e voltará a caminhar normalmente.

Além de lançar um modo de teleoperação mais completo para os seus clientes ainda esse ano, a empresa está trabalhando em uma atualização futura que contará com um braço robótico acoplado à cabeça do Spot, abrindo uma série de outras funcionalidades para o robô. Dessa forma, o Spot será capaz de manipular seus arredores — assim como coletar dados — abrindo portas, girando válvulas e até pressionando interruptores.

Os cuidados com o Spot

Mas e quanto ao potencial uso indevido do robô? Desde que o Boston Dynamics começou a divulgar vídeos de seus robôs, tem havido preocupações de que suas máquinas sejam usadas para fins maliciosos. Embora o Spot não seja do nível de um Exterminador do Futuro, algo em seus movimentos “quase naturais” causa certa apreensão na população em geral.

Spot caminhando
Será que o Spot poderia se tornar uma máquina perigosa em mãos erradas?

Pensando nessas preocupações, Perry diz que a Boston Dynamics aplicará um código de uso para o robô: nenhum anexo de arma e nenhum caso de uso que possa “prejudicar ou intimidar” as pessoas. Mas, como qualquer empresa que vende seus produtos on-line, ela não tem como interromper usos maliciosos quando o robô está fora de suas mãos. Perry afirma:

“Se houver um uso prejudicial, a licença será invalidada e o cliente não poderá usar o robô” […] “Mas, obviamente, não há muito que possamos fazer com antecedência, além de confirmar que a compra é válida e que a pessoa que compra o robô não está na lista de observação do Departamento de Comércio ou algo do gênero”.

Porém, o presidente de desenvolvimento de negócios da Boston Dynamics também diz que a empresa não descartou a venda do Spot a empresas de segurança, ou para operações policiais.

“Desde que o robô não esteja sendo usado para prejudicar ou intimidar pessoas” […] “É um robô de 30 kg que pode ser facilmente derrubado”

Um robô para poucos

Apesar de o Spot ser uma celebridade no mundo dos robôs, ele ainda é um produto de acesso muito limitado. A empresa alugou cerca de 150 unidades a clientes até o momento e não cumprirá sua meta de produzir 1.000 robôs Spot este ano devido ao impacto do coronavírus. Os clientes também estarão limitados a comprar dois robôs por vez, e pedidos maiores precisarão ser discutidos com a empresa. Perry conta:

“Se você deseja comprar mais de dois robôs, nossa equipe quer falar com você” […] “Porque queremos entender o que você quer fazer com o robô.” […] “Recebemos muitos pedidos de coisas realmente emocionantes. Mas muitas das coisas mais interessantes da perspectiva dos negócios são coisas que as pessoas acham entediantes, como permitir que o robô leia medidores analógicos em uma instalação industrial. Isso não é algo que vai incendiar a Internet, mas é transformador para muitas empresas “.

Fonte: The Verge

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário