Apple revisa receita do último trimestre e os números despencam

Apple revisa receita do último trimestre e os números despencam 2
Após revisão da receita do último trimestre divulgada por Tim Cook, o CEO da Apple, o valor das ações da empresa caiu em 8%

Na tarde desta quarta-feira (02), a Apple divulgou um comunicado à imprensa contendo uma revisão da receita do último trimestre. Segundo Tim Cook, o atual CEO, os números divulgados previamente eram incompatíveis com os verdadeiros. Com isto, o resultado já foi sentido no mercado de ações, onde a Maçã já caiu 8%. Entenda:

A carta de Tim Cook, o CEO

Apple revisa receita do último trimestre e os números da empresa despencam
Tim Cook, CEO, divulgou carta hoje (02)

Em novembro de 2018, a empresa havia afirmado que sua receita estaria situada entre US$ 89 bilhões e US$ 93 bilhões. Apesar de ter sido um trimestre não tão promissor, os acionistas já estavam conformados.

No entanto, com a revisão da receita, estes números caíram para US$ 84 bilhões (aproximadamente R$ 337 bilhões). Outros detalhes podem ser encontrados na carta oficial de Tim Cook, da qual extraímos um fragmento:

“Para os investidores da Apple:

Hoje, estamos revisando a receita do primeiro trimestre fiscal de 2019, que se encerrou em 29 de dezembro. Agora, nós esperamos o seguinte:

Receita de aproximadamente US$ 84 bilhões

Margem bruta de aproximadamente 38 por cento

Despesas operacionais de aproximadamente US$ 8,7 bilhões

Outras rendas/(despesas) de aproximadamente US$ 550 milhões

Taxa de imposto de aproximadamente 16,5 por cento antes de itens discretos

Esperamos que o número de ações usadas em EPS de computação diluída sejam de aproximadamente 4,77 bilhões.”

Apple revisa receita do último trimestre e os números da empresa despencam
iPhone XS foi o principal culpado

Ainda na carta divulgada por Cook, foi possível entender o motivo por trás de todos estes números. Dentre as principais causas, estão: o número inferior de vendas dos carros-chefe da empresa, o iPhone XS e o iPhone XS Max e, além disso, uma desaceleração na economia da China.

Tal resultado não é surpresa para quem acompanhou o lançamento dos novos iPhone em 2018. Isto é, apesar de serem smartphones sólidos e que apresentam evoluções, estas não foram tão marcantes ou necessárias para alguns usuários – principalmente os donos de iPhone X.

Numa entrevista para a CNBC, Tim Cook explicou que “no fim, nosso déficit foi de mais de 100 por cento no iPhone e se deu primariamente na Grande China“. “Está claro que a economia começou a diminuir o ritmo por lá na segunda metade do ano após o que eu acredito ter sido as tensões no mercado entre os Estados Unidos e a China”, complementa o executivo.

Nem tudo deu errado para a Apple

Apple revisa receita do último trimestre e os números despencam 3
O último trimestre também gerou frutos

Segundo o comunicado de Tim Cook, a Apple conseguiu extrair algo positivo deste último trimestre, uma vez que houve crescimento em algumas áreas. O número de dispositivos vendidos pela empresa e que estão instalados e sendo utilizados cresceu em mais de 100 milhões de unidades, por exemplo.

Esse tipo de dado é bem útil, já que a empresa deve lançar novos serviços baseados em inscrições e mensalidades, tais como o iCloud – serviço de armazenamento em nuvem – ou o Apple Music – serviço de streaming de música.

“[…] e nós não iremos ficar sentados esperando que o macro mude. Espero que sim e eu estou realmente otimista, mas iremos focar profundamente nas coisas em que podemos controlar”, finaliza Tim Cook.

E você, o que acha dos últimos lançamentos da Apple? Comente logo abaixo, no espaço de comentários!

Fonte: Business Wire.

Leia também

Microsoft supera Apple, por minutos, como a empresa mais valiosa do mundo

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba notícias por e-mail

Receba notícias no seu e-mail
Holler Box